sábado, 21 de agosto de 2010

O Feio



Feiúra é a face do mal que agride o coração pelos olhos, afogando o peito em amargo desgosto. O feio seca a vida, envenena o espírito e dissolve a dignidade com seu espectro corrosivo.

O Feio é insuportável, por isso muitas vezes se finge de belo. Não adianta, carrega incrustado em si o odor fétido dos horrores de guerra, da fome, da doença e todo tipo de miséria humana.

Muitos definem como feias certas coisas banais, mas feios mesmo são os frutos da alma podre, da torpeza.

Dostoievski escreveu que a beleza salvará o mundo. Então, busquemos a beleza - em tudo.

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Sensacional man! As vezes o feio serve como alento. Né? Deparar-se com o feio valoriza o belo. Pode até ser conceito da Lama e das histórias que criamos às vezes. Gostei de ver seu primeiro post com ilustração. Aliás, fantástica! Faça mais,cara! Seu desenho mais veloz ou sem cores já é perfeito! Abração!

    ResponderExcluir
  3. muito foda man. demais. pra mim um poema. e o desenho, puta que pariu, genial. abração. lepre.

    ResponderExcluir
  4. Fabz... acho que assim com o "feio" se faz de belo, também o "belo" se faz de feio e, para mim, esse é o caso da LAMA. A literatura Pulp é uma catarse de nossa mente criativa para a realidade brutal em que vivemos, não vejo uma "feiúra" real nisso. A intenção é boa, é ótima! Fico feliz que tenha gostado do texto e da ilustra! Valeu!!!

    Lepre, fico lisongeado com seu comentário! Feliz mesmo! Muito obrigado!

    Um grande abraço meus amigos!!!

    ResponderExcluir